Histórias que marcam

Não sei onde eu teria ido parar

Por Marcelo Monteiro, paciente

“Eu faço tratamento para a depressão há quase três anos. Nesse período, também tive crises de ansiedade e até mesmo uma hospitalização por conta da Síndrome do Pânico. Tomo medicação para controlar tudo isso e também para dormir, tive que mudar alguns hábito da minha vida. Abandonar o sedentarismo, por exemplo. Eu tenho feito caminhadas diárias. E só posso dizer que o papel do médico foi fundamental na minha recuperação. Se não fosse esse acompanhamento que eu tive desde os primeiros 10 ou 15 dias que eu tive sintomas, não sei onde eu teria ido parar”.